PUBLICIDADE

Santos / Cotidiano

Estruturas em formato de peixe e tubar√£o-baleia ajudam a reduzir lixo na praia

Com a instala√ß√£o da estrutura de peixe, de 3 metros de altura, na praia do Boqueir√£o, em Santos, cerca de 1,5 toneladas de lixo recicl√°veis foram coletados pela ONG Sem Fronteiras,¬†por meio do programa Recicla Praia, nos √ļltimos tr√™s meses.

“Al√©m de obra de arte, s√£o locais disponibilizados para o descarte de material recicl√°vel e que precisam ser mais utilizados pelo santista e pelo turista. √Č a oportunidade que todos t√™m, depois de passar um dia na praia, de contribuir com a preserva√ß√£o do ambiente”, afirmou o presidente da ONG Sem Fronteiras, Marcelo Adriano da Silva.

Segundo o secret√°rio em exerc√≠cio, √Čder Santana, entre 2016 at√© 2019, houve um aumento de 300% no recolhimento do lixo recicl√°vel. “Em termos quantitativo, os n√ļmeros nos surpreenderam. O que mostra que a sociedade despertou para a import√Ęncia do assunto”, diz.

Na opini√£o dele, a criatividade na confec√ß√£o do equipamento tamb√©m contribuiu para o sucesso do projeto criado pela Administra√ß√£o atual. “Foi uma grande estrat√©gia. Mexeu com a curiosidade e, com isso, levou as pessoas a reflex√£o”.

Com objetivo de implantar uma pol√≠tica de educa√ß√£o ambiental, √Čder Santana explicou que a inven√ß√£o fez com que o mun√≠cipe ou turista sa√≠ssem do convencional. “O usu√°rio recolhe o lixo e ao inv√©s dele lev√°-lo no local comum, que seria numa ca√ßamba, ele vai descartar num lugar bem diferente”, pontou.

O secret√°rio em exerc√≠cio afirmou estar muito contente com sucesso do projeto, para ele, os¬†colaboradores da ONG Sem Fronteiras t√™m grande parcela de responsabilidade em tudo isso. “S√£o pessoas batalhadoras, que n√£o se cansam de trabalhar e contribuir com a Cidade. S√£o educadores que passam a mensagem de forma pr√°tica”.

Reflex√£o –¬†Quem tamb√©m descartou material nas estruturas, ontem (23), foram os estudantes de nutri√ß√£o da Unifesp, Gustavo Silva Azevedo e Giulia Sanchez, ambos 22 anos, moradores da Vila Mathias. “√Č importante para sinalizar o quanto a gente descarta de pl√°stico e tamb√©m como forma de conscientiza√ß√£o para que as pessoas n√£o joguem lixo em local inadequado como a faixa de areia. Essas estruturas nos levam √† reflex√£o”, disse Giulia.

Na faixa de areia da Ponta da Praia até o Gonzaga, Lorenzo Lisboa, 5 anos, com um saco plástico nas mãos, recolhia tudo o que via pela frente na tarde desta quinta-feira (23) Рtampinha de garrafa PET, copinho de iogurte e embalagem de biscoitos.

Quando chegou pr√≥ximo √† estrutura em formato de tubar√£o-baleia, que fica em frente √† Concha Ac√ļstica para descarte de lixo recicl√°vel, ele foi at√© l√° depositar o ‘montante’. “Juntei para salvar o mundo”, disse o pequeno, dando exemplo de cidadania e consci√™ncia.

Ele estava acompanhado da m√£e, a cabelereira Gabrielle Lisboa, 28, e da tia Benedita Vital, 71, que vieram de Iguape (Vale do Ribeira) passar uns dias em Santos. “Sempre fazemos isso, catamos o lixo que est√° jogado na rua”, falou a m√£e.

Nos locais devem ser descartados somente lixo reciclável (plástico, papel, metal, vidro, isopor). A fiscalização dos descartes na orla é realizada pelas secretarias de Finanças, Segurança e de Meio Ambiente.

Foto: Divulgação/PMS