PUBLICIDADE

Santos / Porto

Grupo vai a Brasília reforçar pleito pela liberação dos cruzeiros marítimos

Da Redação

A força-tarefa que partiu da Baixada Santista para Brasília nesta quinta-feira (30/9) fez um apelo contundente pela retomada da temporada de cruzeiros marítimos no Brasil.

O pedido foi levado em conjunto pelo presidente da Associação dos Profissionais do Turismo da Baixada Santista (APT), Eduardo Silveira, o presidente da União dos Vereadores da Baixada Santista (UVEBS), vereador Roberto Andrade e Silva, o Betinho (PSDB), de Praia Grande, e o diretor-executivo da UVEBS, Pedro Garofalo.

O trio foi recebido pelo presidente da Comissão de Turismo da Câmara, deputado João Carlos Bacelar Batista (PODE/BA), e pelo primeiro vice-presidente da mesma Comissão, Roberto de Lucena (PODE/SP).

A comitiva caiçara lembrou da importância que a movimentação dos cruzeiros terá para a retomada da economia, em especial na Baixada Santista. Segundo estimativas do Terminal Concais, só a temporada 2021/2022 deve injetar mais de R$ 132 milhões para a economia de Santos e região. São esperados 237 mil passageiros para embarque em Santos, cujo início das operações havia sido previsto para o dia 5 de novembro.

O deputado Lucena, que se mostrou sensível e empenhado em conseguir a retomada do trânsito de navios de passageiros, está em tratativas diretas com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão que deu parecer contrário à volta dos cruzeiros. A intenção é mostrar à Anvisa que a retomada das viagens de navios será acompanhada por rigorosos protocolos de prevenção à Covid-19, já reconhecidos e bem-sucedidos nas rotas internacionais.

“Vim representar o profissional de turismo, trazer esse anseio e essa necessidade de ver os cruzeiros navegando novamente no Brasil. Temos muitos passageiros que compraram suas viagens de navios antes de 2020 e, por causa da pandemia, ainda não puderam realizar o sonho de navegar. Esperamos que, com todo o rigor de um protocolo sanitário seguido à risca, os navios voltem a movimentar os negócios ligados ao turismo e que os postos de trabalho sejam retomados, pelo bem de toda a economia”, analisa Silveira, da APT.

A comitiva volta para a Baixada Santista com a expectativa de uma revisão na postura da Anvisa para que a temporada 2021/2022 seja uma realidade no País.

Foto: Divulgação