PUBLICIDADE

Brasil / Política

Bruno Covas se licencia da prefeitura por 30 dias para tratar c√Ęncer

Da Agência Brasil

O prefeito de S√£o Paulo, Bruno Covas, anunciou hoje (2) que vai se licenciar da prefeitura pelo per√≠odo de 30 dias para poder se dedicar exclusivamente ao tratamento m√©dico contra o c√Ęncer. O pedido de licenciamento ser√° encaminhado √† C√Ęmara Municipal amanh√£ (3). Nesse per√≠odo, o cargo ser√° exercido por seu vice, Ricardo Nunes.

Segundo comunicado da prefeitura no final da tarde de hoje, com o surgimento de novos focos da doen√ßa, Covas vai precisar ‚Äúde dedica√ß√£o integral ao tratamento e entende que n√£o ser√° compat√≠vel com as suas responsabilidades e compromisso com a cidade e os paulistanos‚ÄĚ.

Nas redes sociais, o prefeito postou o comunicado da prefeitura sobre o seu licenciamento e agradeceu às pessoas pelo apoio.

Histórico

Em outubro de 2019, Covas foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de c√Ęncer na regi√£o de transi√ß√£o do es√īfago para o est√īmago, al√©m de uma met√°stase no f√≠gado e uma les√£o nos linfonodos. Ap√≥s o diagn√≥stico, ele iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia.

Em fevereiro do ano passado, exames demonstraram regress√£o da les√£o es√īfago-g√°strica e da les√£o hep√°tica, mas uma bi√≥psia detectou que o c√Ęncer nos linfonodos ainda persistia e os m√©dicos decidiram ent√£o iniciar uma nova fase de tratamento, baseado em imunoterapia, uma estrat√©gia que permite ao pr√≥prio sistema imune do paciente combater a doen√ßa.

Exames feitos pelo prefeito em abril de 2020 demonstraram controle da lesão em linfonodos. Já neste ano, em fevereiro, Covas passou por um novo tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. E em meados de abril, exames de controle demonstraram novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Com isso, os m√©dicos decidiram dar continuidade ao tratamento com quimioterapia, al√©m de imunoterapia. No dia 27 de abril, ele recebeu alta do hospital, mas seu tratamento contra a doen√ßa dever√° ser continuado com aplica√ß√Ķes de 48 horas a cada duas semanas.

Foto: Governo do Estado/Arquivo