PUBLICIDADE

Literatura

Bibliotecas de Mongaguá disponibilizam mais de 17 mil livros

Da Redação

A leitura é um hábito que deve ser cultivado desde a infância. Ler conteúdos de qualidade favorece o desenvolvimento da escrita, pensamento crítico e criatividade. Quem desenvolve cedo o gosto pela leitura dificilmente perderá o interesse pelos livros, ao longo da vida, mesmo em uma época com tantos apelos tecnológicos.

Em Mongaguá, há duas opções para o empréstimo de livros – a Biblioteca Municipal, instalada no Espaço Cidadão (Centro), e a Biblioteca Municipal, contígua à Escola Municipal José Carlos de Freitas, em Agenor de Campos. As duas unidades possuem um acervo diversificado.

Centro

A biblioteca central possui um acervo com mais de 12 mil títulos, entre livros de pesquisa, didáticos, literatura brasileira e estrangeira. Ao todo, são 1.200 usuários cadastrados.

De acordo com a responsável pela biblioteca, Rose Oliveira, a maior parte dos freqüentadores é formada por idosos e crianças, acompanhadas dos pais ou responsáveis. O prazo de devolução do livro é de 15 dias.  Além do empréstimo de livros, a biblioteca também disponibiliza seis computadores para a realização de pesquisas.

A atualização do acervo da biblioteca depende de doações. Recentemente, a unidade recebeu mais de 200 livros doados, entre os quais a coleção completa de Harry Porter e Crepúsculo. Portanto, quem tiver livros para doar (exceto os didáticos) deve entrar em contato com a equipe, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30, no Espaço Cidadão (Centro).

Agenor de Campos

A biblioteca de Agenor de Campos é a principal referência para os moradores da região mais populosa de Mongaguá. Segundo a responsável pelo espaço, Isabel Cristina de Melo, o acervo é constituído por mais de cinco mil livros. Atualmente, há 1.974 pessoas cadastradas, sendo que os principais freqüentadores são os estudantes da escola José Carlos e outras unidades da região, e o público da terceira idade.

Desde 2018, o projeto “Gosto pela Leitura” foi estendido a menores infratores que estão cumprindo medida socioeducativa. Este ano, segundo Isabel, a biblioteca está planejamento o desenvolvimento de algumas ações educativas e culturais voltadas ao público atendido pelo CRAS Agenor de Campos.

No local, também funciona o Acessa São Paulo, com seis computadores disponíveis ao público. Mensalmente, cerca de 300 pessoas utilizam o serviço para a realização de pesquisas, preparação para concursos públicos, entre outros objetivos.

Para fazer o cadastro nas bibliotecas públicas é necessário apresentar o documento de identidade (RG, CPF ou CNH), comprovante de residência e uma foto 3×4. Não é necessário levar cópias da documentação.