PUBLICIDADE

Literatura

Em live nesta segunda-feira, Lucas Busto lança quadrinho Atlântico

Da Redação

Com o objetivo de ampliar discussão de temas nem sempre colocados nos holofotes das produções do gênero, o quadrinho Atlântico, do autor Lucas Busto, será lançado nesta segunda-feira (21), às 19h, na Live Atlântico – Quadrinhos, Mar, Ancestralidade e solidão coletiva, pelo canal do Youtube Lusto tif.

Atlântico é uma história em quadrinhos que conta a trajetória de um homem que se aventura pelo fundo do oceano. Sua jornada tem como ponto de partida a cidade de Santos e percorre o fundo do oceano Atlântico pelas correntes marítimas, a fim de encontrar o marco continental da origem do Homem. O projeto foi realizado através da Prefeitura Municipal de Santos – Programa de Apoio Cultural Facult e tem o prefácio do escritor, artista plástico, quadrinista, roteirista e criador de ‘Deus, essa gostosa’, Rafael Campos Rocha.

“Lucas Busto realizou sua ‘Apneia Atlântico’ levando em conta, justamente, a ampliação do campo dos quadrinhos, desde os anos 1960, por artistas do calibre de Crepax e até contemporâneos como Rosaire Appel ou o brasileiro Pedro Franz. Como esses artistas, ou os melhores artistas em qualquer área, o suporte é parte integrante do que você vê, e não somente plataforma de onde acessamos uma narrativa”, diz o roteirista.

Para o autor o projeto se inicia na possibilidade de inscrever um projeto no Facult. “Eu já tinha o roteiro na cabeça, mas ele era muito raso, basicamente era a jornada de um cara comum retratado em 400 histórias que a gente lê, e um uma boa desculpa pra desenhar uns bichos marinhos legais”, conta Busto.

“Era um roteiro que estava engavetado há muito tempo, coisa de 10 anos, mesmo. Nisso eu trombei com produções maravilhosas, como a obra da Luedji Luna, Thiago Elniño, banda Tuyo, e tudo se colidia com a minha história, mas de uma forma muito mais profunda, com uma alma que estava quase adormecida naquele personagem. Encontrei a motivação ali, nessa relação de solidão, que pode ser no meio do oceano, sem nenhum ser humano por perto e no meio de um metrô lotado na Sé”, contextualiza o autor.

A Live
Em tempos de pandemia, encontrou-se uma forma de realizar o lançamento do livro, sem autógrafos presenciais, e ampliando a atuação do projeto para atingir um maior número de interlocutores para discussão.

“A ideia desta conversa surge para explorar algumas reflexões que a obra traz e permeiam sobre a ancestralidade, a identificação com o mar e a nossa solidão perante a multidão da cidade grande”, conta a mediadora da live e pesquisadora de HQ, gênero e cultura pop, ganhadora de 2 HQMIX, Dani Marino.

“O processo criativo tem suas particularidades, no entanto, a reflexão da história levou esse trabalho para lugares que, inicialmente, não havia projetado. Quando apresentei o quadrinho para minhas convidadas desta live, a psicóloga, Mayra Bio, e a bióloga e educadora, Aline Bento, exploramos ainda mais essas reflexões, sobre a nossa identidade caiçara, a biodiversidade marinha e o nosso cotidiano no século XXI.”, apresenta Busto.

O autor

Nascido em Santos, formado em São Paulo, Lucas Busto também é diretor de arte na Mkt Virtual, de Santos, atua na área de Design de Conteúdo. Autor e editor das obras “Caixa-Preta de pequenas grosserias” e do livro infantil “Sopa”, ambas lançadas na Micro Editora Independente LAB. Migaloo, na qual é idealizador, escreve, desenha, imprime e encaderna histórias.

“O Lab. Migaloo é uma editora experimental e um estúdio criativo focado em publicações de baixa tiragem e outras peças gráficas e artísticas, que idealizei com a designer e também autora, Ana Novi. Trabalhamos em diferentes frentes, desde publicações em papel até tecidos e perfumes. Acreditamos nas múltiplas materialidades da experiência estética e tentamos trazer aos nossos projetos todos os sentidos humanos”, finaliza o autor.

Foto: André Calvão/Divulgação