PUBLICIDADE

Santos / Polícia

Mais um homem √© preso furtando galp√Ķes incendiados da Receita Federal

A prisão aconteceu na segunda-feira (26), na Rua João Pessoa, no Centro Histórico. Foram apreendidos fios e calhas de cobre, totalizando aproximadamente 15 quilos roubados do galpão.

 

Foto: Divulgação / Prefeitura de Santos

Da redação

Guardas Municipais de Santos prenderam, na segunda-feira (26), mais um homem por furto no galpão incendiado da Receita Federal, no Centro Histórico.

Os agentes estavam em ronda na Rua João Pessoa quando avistaram um indivíduo saindo do local do incêndio carregando três mochilas. De imediato, os guardas abordaram o suspeito e conseguiram apreender diversos fios e calhas de cobre, totalizando aproximadamente 15 quilos roubados do galpão. Durante a abordagem, o acusado confessou o crime e disse que invadiu o local por ter muito cobre e outros metais espalhados.

No √ļltimo domingo, outro indiv√≠duo havia sido¬†detido pela GCM por furto no im√≥vel.

Os armaz√©ns s√£o da D√≠namo Inter Agr√≠cola Ltda e abrigavam itens apreendidos da Receita Federal, que seriam leiloados no pr√≥ximo dia 29. Em nota, a empresa disse que expressa a preocupa√ß√£o com a seguran√ßa de indiv√≠duos que t√™m invadido as instala√ß√Ķes. Ela afirmou que tem solicitado refor√ßos das for√ßas policiais, incluindo a Pol√≠cia Civil e a Guarda Civil Municipal.

“Com temperaturas ainda elevadas e risco de desabamento das estruturas, o perigo para quem adentra o espa√ßo sem autoriza√ß√£o aumenta consideravelmente. Al√©m disso, existe tamb√©m uma preocupa√ß√£o muito grande com a contamina√ß√£o do local, o que dificultaria o trabalho da per√≠cia. A empresa permanece colaborando com as autoridades e vem adotando as medidas necess√°rias visando coibir tais invas√Ķes e garantir um ambiente seguro”, disse a D√≠namo.¬†

Fogo no galp√£o

Foto: Reprodução

Os galp√Ķes foram atingidos pelo inc√™ndio de grandes propor√ß√Ķes no dia 18 de fevereiro. O fogo durou mais de 60 horas e foi combatido pelo Corpo de Bombeiros. A PF instaurou um inqu√©rito policial e come√ßou as investiga√ß√Ķes, para apurar o que ocasionou as chamas.¬†

Os galp√Ķes que foram atingidos pelas chamas n√£o tinham Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). O certificado atesta que a edifica√ß√£o possui todas as condi√ß√Ķes de seguran√ßa contra inc√™ndio e p√Ęnico, previstas na legisla√ß√£o, dimensionadas atrav√©s da elabora√ß√£o de Projeto T√©cnico Simplificado (PTS) ou Projeto T√©cnico (PT) e confirmadas em vistoria do Corpo de Bombeiros. A falta do documento pode acarretar em advert√™ncia, multa ou at√© interdi√ß√£o do local.

Em nota, a Dínamo informou que vem cooperando integralmente com os levantamentos que estão sendo realizados pelos órgãos envolvidos, auxiliando física e documentalmente com todos os dados necessários para a elucidação dos fatos. A empresa também declarou que todas as cláusulas de guarda foram fielmente respeitadas.

Há alguma suspeita do que causou o incêndio?

Foto: Praticagem de S√£o Paulo

A suspeita é de que tenha acontecido um curto-circuito dentro do armazém que iniciou o incêndio. De acordo com os bombeiros, ainda não é possível saber a causa do fogo. Ela deverá ser apontada pela Perícia da Polícia Técnico-Científica. 

H√° risco de desabamento?

Foto: Reprodução

Os agentes informaram que há o risco de desabamento. Inclusive, já houve o desabamento parcial de parte da estrutura.