PUBLICIDADE

Brasil / Cotidiano

Ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e mais quatro são soltos por decisão de desembargador

Da Redação

Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação, teve a prisão preventiva cassada nesta quinta-feira (23). A decisão, deferida pelo desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), também beneficia Gilmar Santos, Arilton Moura, Helder Diego da Silva Bartolomeu e Luciano de Freitas Musse.

Os cinco tinham sido presos na opera√ß√£o ‚ÄúAcesso Pago‚ÄĚ, destinada a investigar a pr√°tica de tr√°fico de influ√™ncia e corrup√ß√£o para a libera√ß√£o de recursos p√ļblicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educa√ß√£o, vinculado ao Minist√©rio da Educa√ß√£o. Milton Ribeiro estava em seu apartamento no bairro do Boqueir√£o, em Santos – ele √© nascido em S√£o Vicente.

A decisão, que atende a um habeas corpus apresentado pela defesa do ex-ministro, vale até que este pedido seja julgado pelo colegiado da 3ª Turma do TRF-1.

Na decisão, Ney Bello argumenta que Ribeiro não integra mais o Ministério da Educação, não são atuais e, por essas razão, a prisão preventiva não se justifica.

“Por derradeiro, verifico que al√©m de ora paciente n√£o integrar mais os quadros da Administra√ß√£o P√ļblica Federal, h√° aus√™ncia de contemporaneidade entre os fatos investigados ‚Äď ‘libera√ß√£o de verbas oficiais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educa√ß√£o e do Minist√©rio da Educa√ß√£o direcionadas ao atendimento de interesses privados’ ‚Äď supostamente cometidos no come√ßo deste ano, raz√£o pela qual entendo ser despicienda a pris√£o cautelar combatida”, escreve o desembargador.

Foto: Arquivo