PUBLICIDADE

Brasil / Cotidiano

Anvisa autoriza análise da eficácia de dose de reforço da AstraZeneca

Da Agência Brasil

A Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa) autorizou, nesta segunda-feira (19), a realiza√ß√£o de estudo cl√≠nico para avaliar a seguran√ßa, a efic√°cia e a imunogenicidade da aplica√ß√£o de terceira dose da vacina contra covid-19 da AstraZeneca.

Segundo a Anvisa, o estudo inicial ser√° feito em participantes que j√° receberam as duas doses do imunizante, com um intervalo de quatro semanas entre as aplica√ß√Ķes. A dose de refor√ßo ser√° aplicada de 11 a 13 meses ap√≥s a segunda dose.

A Anvisa explica que trata-se de um estudo de fase três, em que o voluntário não saberá o que tomou: se uma dose da vacina ou de placebo.

Volunt√°rios

‚ÄúSer√£o inclu√≠dos volunt√°rios com idade entre 18 e 55 anos, que estejam altamente expostos √† infec√ß√£o com o novo coronav√≠rus, como profissionais de sa√ļde. N√£o ser√£o inclu√≠das gestantes ou pessoas com comorbidades‚ÄĚ, explica a ag√™ncia, em nota.

Segundo informou a Anvisa, o estudo, patrocinado pela AstraZeneca, ser√° realizado somente no Brasil, nos estados da Bahia (1,5 mil volunt√°rios), Rio de Janeiro (1,5 mil), Rio Grande do Sul (3 mil), Rio Grande do Norte (1,5 mil) e S√£o Paulo (2,5 mil).

Ap√≥s a quebra do ‚Äúcegamento da pesquisa‚ÄĚ, quando os volunt√°rios ficam sabendo se receberam a vacina ou o placebo, todos os participantes do grupo placebo ser√£o convidados a tomar a dose de refor√ßo.

Proxalutamida

Nesta segunda-feira, também foi autorizada a realização de um estudo clínico para avaliar a segurança e a eficácia do medicamento proxalutamida na redução da infecção viral causada pelo novo coronavírus e no processo inflamatório provocado pela covid-19.

O estudo √© de fase tr√™s e avaliar√° a efic√°cia e a seguran√ßa da subst√Ęncia em participantes ambulatoriais do sexo masculino com covid-19 de leve a moderada.

O estudo √© patrocinado pela empresa Suzhou Kintor Pharmaceuticals, sediada na China, e ser√° realizado na Alemanha, Argentina, √Āfrica do Sul, Ucr√Ęnia, M√©xico, Estados Unidos e Brasil, onde participar√£o 12 volunt√°rios do estado de Roraima e 38, de S√£o Paulo.

Nesse domingo (18), o presidente Jair Bolsonaro disse que pediria estudos sobre o uso do medicamento no Brasil.

Foto: