PUBLICIDADE

Brasil / Cotidiano

Variante P1 j√° responde por 90% das amostras em SP, diz Adolfo Lutz

Da Agência Brasil

A variante P.1 do novo coronavírus, primeiramente identificada em Manaus, já responde por 90% das amostras analisadas pelo Instituto Adolfo Lutz no estado de São Paulo.

Segundo um estudo divulgado nesta quarta-feira (28) pela Secretaria estadual da Sa√ļde de S√£o Paulo, dos 1.439 sequenciamentos gen√©ticos realizados, 90% das amostras tinham preval√™ncia da P.1. Essa √© uma variante considerada de aten√ß√£o em todo o mundo por poder ser mais transmiss√≠vel ou provocar um quadro mais grave.

O estudo tamb√©m demonstrou que a preval√™ncia dessa variante no estado quadruplicou em apenas tr√™s meses. Em janeiro, ela representava 20% dos sequenciamentos. Em fevereiro, a 40%. E no m√™s seguinte, j√° respondia por 80% das amostras analisadas. Essa variante est√° presente em todos os 17 departamentos de sa√ļde do estado e s√≥ n√£o √© prevalente nas regi√Ķes de S√£o Jos√© do Rio Preto e Presidente Prudente, onde a P.2 (que surgiu no Rio de Janeiro) √© mais evidente.

‚ÄúO aumento dos casos, interna√ß√Ķes e √≥bitos que identificamos especialmente no primeiro trimestre deste ano pode estar relacionado √† maior circula√ß√£o desta variante de aten√ß√£o‚ÄĚ, disse Regiane de Paula, coordenadora de Controle de Doen√ßas, por meio de nota.

Linhagens

At√© outubro do ano passado, a variante B.1.1.28 predominava em todo o estado e chegou a ultrapassar 90% do sequenciamento. Havia tamb√©m, segundo a secretaria da Sa√ļde, a B.1.1.33, que chegou a alcan√ßar 30% das amostras. Mas elas sofreram muta√ß√Ķes e deram origem a duas novas variantes: a P.2 e a N.9. Em novembro, a variante inglesa B.1.1.7, que tamb√©m √© uma muta√ß√£o que requer aten√ß√£o, come√ßou a circular no estado. J√° a P.1, que derivou da B.1.1.28 e primeiro foi observada em Manaus, chegou ao estado de S√£o Paulo em dezembro.

Nas amostras analisadas pelo Adolfo Lutz, 21 linhagens diferentes do novo coronav√≠rus foram encontradas. Entre elas, tr√™s s√£o variantes de aten√ß√£o: a P.1 (Manaus), a B.1.1.7 (Reino Unido) e a B.1.351 (√Āfrica do Sul). O estudo indica que as duas primeiras circulam mais efetivamente no estado paulista.

A B.1.1.7 est√° presente em 12 regi√Ķes do estado, com maior predomin√Ęncia em Campinas e Taubat√© ‚Äď de 12,33% e 21,05%, respectivamente. N√£o houve registros nas regi√Ķes de S√£o Jo√£o da Boa Vista, Bauru, Presidente Prudente, S√£o Jos√© do Rio Preto e Mar√≠lia.

O surgimento de novas variantes gera preocupa√ß√£o em todo o mundo porque elas podem ser mais transmiss√≠veis e provocar mais gravidade. As variantes tamb√©m podem ser mais resistentes √†s vacinas. Muta√ß√Ķes do novo coronav√≠rus surgem quando a pandemia est√° descontrolada. Por isso, √© fundamental continuar fazendo o uso de m√°scara, higienizando as m√£os com √°gua e sab√£o ou √°lcool gel e manter o distanciamento social.

Casos autóctones

At√© ontem (27), 164 casos aut√≥ctones dessas tr√™s variantes j√° foram identificadas em S√£o Paulo, sendo 152 delas com confirma√ß√Ķes da P.1. Quanto √† B.1.1.7 (Reino Unido), foram confirmados nove casos, sendo cinco deles na capital e um caso nas cidades de Peru√≠be, Jacare√≠, Guarulhos e Bauru.

Para a variante sul-africana (B.1.351), houve tr√™s notifica√ß√Ķes no estado, sendo duas delas em Sorocaba e uma em Santos.

Foto: Divulgação/GDF